GRATIDÃO

Escrito por Emilia Alves

Falar de gratidão está na moda e o sentir-se grato a Deus ou ao Universo, de acordo com a sua fé, invade as redes sociais, os artigos de opinião e há mesmo estudos efectuados nos EUA, como habitualmente, que relacionam a gratidão à saúde do seu coração.

Gratos pelo que cada um de nós tem, e que é muito mais do que a maioria da humanidade tem, ou alguma vez terá, como eu sempre digo. Todavia, estamos gratos pelo que recebemos, pelo que partilham conosco, pelo que possuímos ou nos é oferecido, mas já pensamos em agradecer a nós próprios sobre o que fomos capazes de fazer em proveito próprio ou de terceiros?

Na nossa cultura de raiz judaico-cristã mimar-se a si próprio é quase considerado pecado J

Amar o próximo sim, mimá-lo, também, abdicar de quase tudo por ele, melhor ainda….. mas mimar-se a si próprio e agradecer por ter cuidado bem de si…. nem por isso.

É humano considerar algumas actividades diárias como normais, fazendo parte das nossas atribuições e papéis que desempenhamos social ou profissionalmente, e só nos apercebemos do seu valor quando alguém nos substituiu e temos que deixar de as fazer, nem que seja só por uma vez.

Já reparou como agradece ao seu filho, cônjuge ou mesmo um amigo, quanto se oferece para lavar a louça, ou para a enxaguar e por na máquina após levantar a mesa do jantar?

Por outro lado, já reparou a satisfação que sente quanto se decide a finalmente arrumar a roupa de estação naquele armário gigante, que mais parece um bunker, e chega ao fim da tarefa, quase hercúlea, cansado mas feliz, com a sensação de missão ou dever cumprido?

Já lhe aconteceu. Já aconteceu a todos nós. E o que fazemos?

Tomamos um duche depois de um descanso de alguns minutos e partimos para outra tarefa, sem parar, sem pensar, nem que seja durante 30 segundos, para estarmos gratos a nós próprios pelo bem que fazemos, pelo que alcançamos em prol do nosso bem estar e da nossa tranquilidade. 

Quer experimentar um exercício novo, que lhe vai trazer uma maior paz de espírito e uma maior auto-estima, e que só lhe ocupa 1 ou 2 minutos do seu dia?

No final do dia, antes de ir dormir, sente-se, feche os olhos e concentre-se naquilo que ao longo do dia realizou e que o deixou bem consigo próprio, feliz por tê-lo feito, e que lhe trouxe bem estar. Depois, agradeça e agradeça-se! Deixe que a gratidão se revele numa emoção; um sentimento. Agradeça a si próprio a sua força, vontade, atitude, resiliência… Veja como a sua auto-estima reflecte esta sensação. Esteja grato a si próprio e veja como se consegue apreciar, sem necessidade de reforço externo. Esse, se vier, é bem vindo, mas o saber quanto valem as suas acções para si, não tem preço.

Dar sem esperar nada em troca é sabedoria!

E não se esqueça:  mime-se! Seja o primeiro a fazê-lo, pois é um ótimo exemplo para os que o rodeiam e se espera que sejam os outros a mimá-lo, espontaneamente, pode sentir que a espera é por vezes mais longa do que gostaria.

A gratidão começa consigo!

Mime-se todos os dias!

Emilia Alves
Gestão Ramo Coaching: Life & Executive Coach, Business Coach e Formadora Lisboa/Portugal
Linkedin : https://www.linkedin.com/in/emiliaalves/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *