CAMINHO PARA RENOVAÇÃO – INOVAÇÃO

Escrito por Ticiana Tucci

Etapa 3: Inovação

Meus últimos posts foram relacionados ao processo de Renovação nas empresas. Este processo consiste em quarto disciplinas e hoje escreverei sobre a terceira: a Inovação. Antes deste momento, você conferiu as etapas de Falar a Verdade e Sacrifício.

Se a disciplina do sacrifício for corretamente praticada, uma organização terá “espaço” para realmente abrigar novas ideias, metas e oportunidades. Estas não surgem por mágica mas devem ser geradas. A terceira disciplina da renovação é a Inovação. Pode parecer contraditório falar da disciplina da criatividade, dadas as conotações da criatividade como pensamento livre e irrestrito. Frequentemente imaginamos a criatividade em termos misteriosos, um dom concedido por mágica para alguns, como crianças e gênios, mas raramente para nós.

Descobrimos que na verdade é o oposto. Embora a criatividade e a inovação sejam realmente misteriosas, existe uma disciplina da mente que pode ser aprendida e uma cultura organizacional que pode ser intencionalmente desenvolvida para estimula-la.

É aqui que começa a verdadeira diversão!

Não há nada tão estimulante quanto atividades que fazem aparecer o potencial criativo latente em indivíduos e organizações e aprender os processos pelos quais ideias criativas podem se tranformar em ação. Esta disciplina requer uma mente flexível que pode deslocar sua perspectiva a vontade, que pode observar a partir dos quatro pontos de vista necessários para toda inovação bem sucedida: A perspectiva visionária; a perspectiva do jogador; a perspectiva do supervisor e a perspectiva do campeão.

Aprendendo a orquestrar estes quatro papéis, qualquer organização pode orquestrar seu talento para mover o processo criativo desde o início na identificação correta do problema até sua conclusão na aplicação bem sucedida de uma nova solução inovadora.

Vamos saber um pouco de cada uma destas perspectivas para a Inovação:

O Visionário e suas contribuições:

  • Descoberta de problemas
  • Movido pela paixão para desafiar pressupostos
  • Identifica a necessidade de mudança, onde a maneira antiga não está mais em sintonia com as oportunidades emergentes
  • Possui uma bússola interna, onde não depende de roteiros convencionais ou organizacionais para saber onde está
  • Está disposto a arriscar, a deixar o conhecido pelo desconhecido
  • É um pioneiro e pode abrir a trilha para outros exploradores
  • Faz mapas do novo terreno

Atividades do Visionário:

  • Pensamento em perspectiva. As grandes perguntas que faz:
  1. O que está em jogo?
  2. O que é possível?
  • Brainstorming e suas consequencias
  • Uso de analogia e sagacidade
  • Fluidez da função: ver sob muitas perspectivas

O Jogador e suas contribuições:

  • Descoberta de ideias
  • Joga com informações
  • Transforma, revê, divide, disseca para criar novas formas e possibilidades
  • Pratica o pensamento divergente
  • Quebra regras e tabus, faz-se de ingênuo
  • Respeita o acaso e cria ocasiões para usá-lo
  • Investe em possibilidades e não probabilidades
  •  Busca liberdade, em vez de poder

Atividades do Jogador:

  • Essências, chegar ao fundo da matéria
  • Exercícios de risco: o jogo de “Ser Despedido”
  • Expor o que não é visto e o que não é imaginado

O Supervisor e suas contribuições:

  • Descoberta de soluções
  • Vê o todo: considera o tempo, custo, missão, moral, política, etc
  • Discerne as verdadeiras motivações
  • Identifica conflitos burocráticos e de sistemas
  • Atua como avaliador de desejos complexos, não tem medo de dilemas
  • Sabe quando o risco é necessário
  • Alinha metas e valores individuais com a organização: busca sinergia
  • Cria e mantém a cultura organizacional que estimula a criatividade e o respeito mútuo

Atividades do Supervisor:

  • Expor “buracos negros”
  • Torna claro os contratos entre as partes
  • Alinha intenções pessoais, profissionais e da organização
  • Cria uma cultura de apoio a inovação

O Campeão e suas contribuições:

  • Descoberta do consenso
  • Destina tempo ao novo projeto
  • Reconhece os pontos fortes em si e nos outros e trabalha para manifesta-los
  • É especialista em motivação e desmotivação
  • Escolhe as batalhas corretas para lutar, evita dissipar energia
  • Define intenções claras, remove os obstáculos (internos e externos) que ficam no caminho da manifestação do resultado

 Atividades do Campeão:

  • Contribui para a causa
  • Cria oportunidades para experimentar novas formas de trabalho
  • Orquestra o aprendizado e o “desaprendizado” do grupo
  • Desaparecer quando o crédito está sendo dado

Você se identifica com algumas destas contribuições e atividades? Se você fizer uma auto análise e estiver passando por um processo de renovação na organização em que trabalha, quais das perspectivas se identifica mais?

Deixo aqui a reflexão da terceira disciplina do caminho para a Renovação. No próximo mês, escreverei sobre a quarta e última delas.

Até lá e fique conosco.

Um abraço,

Ticiana C. Tucci

ticiana@questaodecoaching.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *