A DOR É PROPORCIONAL À CAPACIDADE DE ENTENDÊ-LA

Por Elza Conte

Aquilo a que você resiste, persiste. (frase atribuída a Carl Jung)

Um dos conceitos mais discutidos e intrigantes por natureza, é a dor. Todos sabemos que ela é fundamental para avisar, que nosso corpo precisa de cuidados especiais. Todavia há dores e dores. Algumas que assistimos em nossos queridos são mais doloridas em nós mesmos, em função da incapacidade de fazermos qualquer coisa.

Você já observou um bebe ao machucar-se? Se ele está sozinho chora muito, desespera-se. Se você tomá-lo ao colo e passar-lhe coragem, a dor é muito amenizada. A dor é proporcional a capacidade de entendê-la. Mesmo em dores crônicas e agudas, já está provado que o medo, a lembrança de dores passadas, pode intensificar a sensação de dor.

Faz-se necessário lógica ao consolarmos ou apoiarmos quem está ao nosso lado, para saber conviver com a dor. Nosso organismo pede em alguns momentos, paciência. É o caso da febre, você deve tomar medicamentos, quando a temperatura atingir o grau chamado de “requer atenção”, abaixo dele a febre precisa estar presente, para que os nossos recursos corporais naturais, se desenvolvam e até possam ser criados, para enfrentar situações novas e de relativa semelhança.

Como sou bastante curiosa gravei no site, algumas informações sobre o processo da dor. Veja que interessante: O que é DOR?

Gostaria de conversar com vocês, sobre as crenças em relação à dor. Assunto de Coach pode ter certeza.

É muito comum ouvirmos que a dor purifica e nos faz aprender. O que você pensa a respeito?

Você pensa que a dor e o sofrimento são importantes, para fazê-lo aprender alguma coisa? Você como eu, gosta quando uma atividade dá certo, quando nossos filhos e parentes conseguem sucesso. Concorda?

Se a dor e o sofrimento fossem caminhos para mudar e aprender, talvez não devêssemos usar óculos, por exemplo, assim com dificuldade para ler e escrever, a nossa atividade, com dor e sofrimento, seria um objeto de aprendizagem muito valorizado.

Você já pensou que a crença sobre a dor e o sofrimento, por serem importantes em nossas vidas, nos coloca em zona de conforto em relação a eles? Impede-nos de observar e analisar, qual é o sinal que o nosso corpo está tentando informar. Observe quando você está próximo de uma superfície com alta temperatura. A dor lhe informa que há necessidade de afastar-se do local. Neste caso não houve nenhum castigo, apenas uma forma de defesa do organismo. Quantas defesas precisamos ter em nossas vidas, para viver bem. Você concorda?

Seria a dor uma questão de erro de abordagem? Como as nossas emoções e crenças intensificam a sensação de dor? É importante considerar que o processamento da dor em nossos corpos, passa pelos mesmos circuitos neurais das emoções.

Quando tratamos uma dor como punição, por exemplo, há uma dificuldade maior em atingirmos bons resultados, visto que enquanto houver acionamento dos circuitos neurais relativos (ou mesmo percepções gravadas), a dor permanecerá. Considerar a importância da dor, para descobrir sua causa, é um processo inteligente na busca de qualidade de vida.

Como o processo de Coaching pode ajudar neste sentido?

O Coaching trabalha fundamentalmente com competências pessoais ou de grupos. Impulsiona para ação. Mostra fundamentalmente a seus participantes, o quanto cada um deles é responsável pela sua vida, pelo seu meio social (incluindo família), pelo seu desenvolvimento, pela sua capacidade de projetar-se para o futuro.

O Coaching não vai recomendar o melhor remédio para a dor, nem tampouco ensinar como lidar com seus filhos nestes momentos, mas certamente encontrará com o Coachee (cliente), todas as soluções em latência dentro de si. A dor existe com certeza. Ela é importante no sentido de informar um problema qualquer em nosso corpo. O sofrimento é opcional, todavia. Soluções e ações são vivificadas em um encontro de Coaching, seja qual for o problema que paralise seu participante.

 Formas de atuação do processo de Coaching neste sentido:

– Estudar com o Coachee seu processo de foco e concentração. 
É fundamental, para quem vive o processo de dor e sofrimento, colocar foco e concentração na sua vida como um todo. Viver somente para a dor condiciona todos nós a dar importância exagerada ao problema, portanto criamos tendência à persistência.

– Estudar com o Coachee suas crenças limitantes em relação ao assunto:
Crenças são verdades construídas introjetadas para dentro de si, podem ser constituídas por palavras ou sentimentos. A maioria delas é formada na infância e alimentada pelo resto de nossas vidas. Sua atuação traz sempre sinais junto consigo e prende o ser a sua origem e atitudes.

O Coach trabalha fundamentalmente com perguntas e sabe que as respostas estão sempre com o Coachee. Perguntas fundamentais:

* O que você perderia em mudar este paradigma (como por exemplo, acreditar que a dor e o sofrimento purificam as pessoas)?

* O que esta purificação pode fazer por você em relação a seus sonhos, projetos, objetivos e metas?

* Como você quer estar se sentindo daqui a 5 anos, quando todo este sofrimento passar?

– Descobrir com o Coachee qual é o verdadeiro Feedback (retorno) que a situação, a doença, pode trazer para ele.

  • O FeedBack não é um processo que analisa se uma dor, por exemplo, purificou ou não quem a enfrentou.
  • O Feedback não julga, mas sim diagnostica uma situação como um todo, possibilitando mostrar os aprendizados e possíveis aperfeiçoamentos sobre os momentos vividos.

O processo de Coaching vem enfim mostrar que qualquer situação é passível de análise e aprimoramento pessoal e profissional.

Você concorda com este texto, mande sua opinião ou crítica. Apreciarei muito sua manifestação.

Elza Conte
Personal & Professional Coach Certificada pela Sociedade Brasileira de Coaching
Palestrante Certificada pelo Instituto Ferrarezi
Master Practitioner em PNL Certificada pelo Instituto Ferrarezi
Practitioner em Matrix Reimprint  certificada pela AAMET International – Association for Advancement of Meridian Energy Techniques
Especialista em técnicas de desbloqueio emocional – EFT(Emotional Freedom Techniques)
Pós-Graduada em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas, com especialização em Negócios para executivos
Líder de projetos em Jogos Empresariais por 20 anos na Fundação Getúlio Vargas
Site – www.coachviaconte.com.br
E-mailelzaconte@coachviaconte.com.br
Contato – (11) 96384-6380 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *